A Associação Empresarial de Paços de Ferreira (AEPF) organizou, no dia 27 de abril, uma sessão de apresentação dos projetos M&V: Desafio à Competitividade e Capital do Móvel: Feeling the Essence, no Parque de Exposições Capital do Móvel. Ambos os projetos se enquadram no Sistema de Apoio às Ações Coletivas, com investimentos na ordem de 1 milhão de euros, e foram concebidos tendo como foco as empresas dos setores do mobiliário e vestuário dos concelhos de Paços de Ferreira, Lousada e Paredes, que são dominantes na área de intervenção da AEPF. Estes projetos contam com o apoio institucional e financeiro da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, através dos fundos do Portugal 2020.

O projeto ‘M&V: desafio à competitividade’ visa incrementar as competências empresariais, aumentar a produtividade, impulsionar a inovação e cooperação e potenciar a competitividade das empresas no mercado. Estamos convictos de que iremos criar os instrumentos de suporte necessários para a capacitação das empresas participantes, estimulando a competitividade das mesmas e fomentando o desenvolvimento regional sustentado. Cumulativamente, o projeto pretende contribuir para a clusterização territorial, fomentando a inovação organizacional e do marketing, com efeitos de fertilização cruzada a outras áreas geográficas a Norte e a outros setores (turismo e hotelaria, por exemplo), pela promoção da interação com as indústrias criativas e as entidades do sistema científico -tecnológico (SCT), que têm elevado potencial de criação de valor.

O projeto ‘Capital do Móvel – Feeling the Essence’ visa reforçar a capacitação empresarial necessária ao desenvolvimento de novos modelos de negócio e de novos modelos empresariais, bem como a aposta na internacionalização, com impacto positivo nas exportações e na visibilidade da Região do Norte enquanto região exportadora. O projeto ‘Capital do Móvel – Feeling the Essence’ está orientado para colmatar necessidades do tecido empresarial nos domínios da promoção, divulgação, acesso a mercados externos, imagem e visibilidade internacional.

Para o  diretor executivo da AEPF, João Pedro Begonha, “a execução destes projetos é de grande relevância para esta região empresarial dinâmica, exportadora e com uma enorme capacidade de resposta a pedidos de encomendas dos quatro cantos do Mundo”.